- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Taxa de transmissão de covid-19 no DF aumentou em 88%, informa Secretária de Saúde

A taxa de transmissão saiu de 1 para 1,3 nos últimos dias, o que representa um aumento significativo; governo vai iniciar sondagem em todas as regiões administrativas para saber quem já teve contato com a doença

Por Ricardo Ulivestro

Após ter uma queda nos números de contaminados por covid-19 no Distrito Federal, a Secretaria de Saúde local informa que os casos voltaram a subir. Segundo a pasta, o nível de contaminação passou de 1 par 1,3, o que representaria um aumento de 88% na taxa de transmissão do novo coronavírus. “Quando falamos que o índice de transmissão passou para 1,3, observamos que das 34 regiões administrativas do DF, nós tivemos 30 delas com aumento na transmissibilidade. Essa média observada de 1,3 que trouxe essa preocupação a todos nós”, explico o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (30).

O governo correr para impedir que esse avanço vire uma segunda onda da doença. Para isso, a primeira medida anunciada pelo secretário foi de realizar entre os dias 2 e 20 de dezembro, uma sondagem junto à população do DF para saber quem já teve contato com doença – haverá um sorteio para escolher os entrevistados.

Além disso, Okumoto disse que também vai se reunir com representantes do comércio para discutir sobre as ações preventivas que deverão ser adotadas. “Vou me reunir com a Fecomércio e com sindicatos relacionados ao comércio do DF, para que possamos promover ações de prevenção, e de informação, em relação à transmissão do Covid-19 no Distrito Federal”, afirmou.

Aumento da taxa de transmissão da doença em 30 regiões administrativas acende alerta para segunda onda no DF

Para o secretário, o principal motivo de a doença estar voltando é que a população teria descumprindo as medidas de segurança, com destaque para o descumprimento do isolamento e distanciamento social. “As pessoas têm que tomar as devidas medidas de proteção contra o coronavírus, que é evitar aglomerações, utilizar a máscara, lavar as mãos utilizando água e sabão e, também, o uso do álcool gel. Isso é muito importante para que possamos evitar a propagação”, lembra Okumoto.

O diretor de Vigilância Epidemiológica do DF, Cássio Peterka, que também participou da coletiva, não descartou a possibilidade de uma segunda onda de covid-19 no próximo ano.  “Há chance de retomada do crescimento de casos da Covid-19”, disse.

Por isso, a solicitação que o secretário de Saúde fez foi para que a população não descuide de sua segurança e que respeite as determinações do órgãos de saúde.

“Solicito mais uma vez à população: tome cuidado. Às vezes, quando falamos que a transmissão tem acontecido muito entre os jovens neste momento, observamos que os pais e avós têm que passar essa informação a eles, porque são essas pessoas que, ao retornar às casas, trazem o vírus e o transmitem às pessoas idosas. Isso nos preocupa muito”, ressaltou Okumoto.

Paciente com covid-19

Agora, o paciente no DF que tiver sido testado positivo para covid-19deve respeitar o isolamento de 14 dias. As 172 unidades básicas de saúde (UBSs) estão abertas para atender os pacientes que tenham sintomas da Covid-19. Em casos mais graves, como dificuldade respiratória, os enfermos serão transferidos para os hospitais.

*Ricardo Ulivestro – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x