- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Hospital de campanha começa a funcionar nesta sexta no oeste do Pará

Começa a funcionar nesta sexta-feira (19) o hospital de campanha montado na Escola Estadual Maria Uchoa Martins, no bairro Floresta, em Santarém, região oeste do Pará, para apoiar o atendimento de pacientes da covid-19 no estado. A unidade tem 60 leitos, sendo 54 clínicos e 4 de estabilização, e foi visitada hoje (18) pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O ministro destacou que a estrutura que abrigará a unidade de saúde resulta do esforço conjunto dos governos federal, estadual e municipal. “É muito bom chegarmos a um estado e verificarmos a união de esforços de todos os níveis de gestão e de governo, e observarmos a estrutura de um hospital de campanha aproveitando uma construção de escola, já com a estrutura física pronta e adaptá-la”, disse Pazuello.

A abertura de leitos por meio de hospitais de campanha é uma das estratégias básicas definidas pelo ministro como ações prioritárias para o enfrentamento da pandemia no estado e proporcionar melhor atendimento aos pacientes. Outras estratégias incluem o atendimento médico imediato dos pacientes sintomáticos na atenção primária, para tratamento adequado, e a vacinação da população. Eduardo Pazuello salientou que já foram distribuídas vacinas a 5.570 municípios do Brasil. “Estamos fechando o vigésimo dia de vacinação, e isso vai nos dar um primeiro padrão de país”, afirmou.

O hospital de campanha de Santarém está localizado a 800 metros do Hospital Regional do Baixo Amazonas e objetiva desafogar a unidade de pronto atendimento (UPA) do município, cujo uso é exclusivo para atendimento a casos de covid-19 e está com fluxo muito intenso de pacientes. A estrutura tem sete enfermarias com sete leitos cada, uma enfermaria com 16 leitos, sala de estabilização, posto de enfermagem e farmácia.

Proteção

Na ocasião, o governador do Pará, Helder Barbalho, detalhou ao ministro medidas protetivas a viajantes do Amazonas, a fim de conter a circulação da variante P.1 do coronavírus, que se encontra ativa no estado vizinho.

Barbalho abordou também os investimentos do governo estadual para atendimento da Calha Norte, região que abrange nove municípios e uma área de 22% do Pará, além de ações voltadas aos ribeirinhos, por meio de navios de assistência hospitalar. A informação é da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde.

O governador disse que a situação da doença no Pará é estável, embora haja dificuldade na produção de oxigênio medicinal, sobretudo nas regiões do Marajó. O ministro Pazuello comprometeu-se a apoiar o abastecimento do estado, enviando dez usinas geradoras do gás o mais breve possível.

Até o momento, o ministério enviou ao Pará 315.840 doses de imunizantes contra a covid-19 e vai estudar, junto ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), a possibilidade de mandar mais doses de vacinas ao estado para proteger a população e controlar a curva epidemiológica.

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x