- PUBLICIDADE -

Covid-19: município paulista aplica segunda dose de reforço

O município de Botucatu, no interior paulista, já começou a aplicar a segunda dose de reforço contra a covid-19 em pessoas entre 50 e 59 anos.

Segundo a prefeitura, a vacinação para esse grupo é necessária por causa do aumento da transmissão do novo coronavírus, que foi observada na últimas semanas. Na semana epidemiológica encerrada no dia 21 de maio, foram constatados 1.023 casos de covid-19 na cidade, número 13 vezes superior ao que foi observado em abril. Além disso, a dose adicional ajuda a reforçar a proteção da vacina, que costuma cair com o passar dos meses.

A segunda dose de reforço para essa faixa etária começou a ser aplicada no último sábado (28), quando 2.763 pessoas entre 50 e 59 anos compareceram aos postos de saúde para tomar a vacina. Agora a campanha continua nas unidades de saúde da cidade, das 8h às 17h. A vacina está sendo aplicada também no horário noturno, das 18h às 22h, no Centro de Saúde Escola da Vila dos Lavradores. A quarta dose também será aplicada no público acima de 18 anos com comorbidades.

Em Botucatu, para tomar a dose adicional, a pessoa deve ter recebido a terceira dose há pelo menos quatro meses. Caso tenha testado positivo para a covid-19 recentemente, a pessoa precisa aguardar o prazo de 30 dias para se vacinar. Para essa vacinação estão sendo usados os imunizantes da Janssen, Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Oxford/Fiocruz.

No ano passado, a população adulta de Botucatu fez parte de um estudo de efetividade da vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz. Um mês após ter iniciado a vacinação em massa de sua população, os estudos já mostravam redução de 71% nos casos de covid-19 no município.

Outras vacinas

Além da aplicação da quarta dose na faixa etária de 50 a 59 anos, os postos de saúde de Botucatu estão aplicando vacinas contra a Influenza e o sarampo.

A vacina contra a gripe está disponível para a população em geral. Já a vacina contra o sarampo (tríplice viral) está disponível para profissionais da saúde e crianças na faixa de 6 meses a menor de 5 anos.

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -