- PUBLICIDADE -

Procedimento inovador facilita tratamento de doenças no fígado e pâncreas

Você sabe o que é a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica, ou simplesmente CPRE? Disponível no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), o procedimento é indicado para diagnóstico e tratamento das doenças que acometem fígado, vesícula biliar, vias biliares e pâncreas.

Gonçala Caridade , passou pelo procedimento para retirada de pedras na vesícula biliar: “Fico feliz de ser bem-cuidada” | Foto: Alexandre Álvares/Agência Saúde

O equipamento manipulado pela equipe de saúde radiológica do  hospital atende pacientes com indicação de cálculos na bile – mais conhecidos como pedras –  ou que, após um transplante, apresentem necessidades especiais. Coordenado no HRT pelos médicos Flávio Hayato e Cláudio Soares de Melo, esse exame também é oferecido no Hospital de Base.

A CPRE pode transformar a vida do paciente, de modo a evitar outras cirurgias ou procedimentos mais invasivos. A colangiografia endoscópica ajuda o paciente a se recuperar de quadros de icterícia, olho amarelado e dor abdominal por problemas na via biliar, contribuindo para a programação de um tratamento oncológico.

Abordagem diagnóstica

“A colângio endoscópica é uma técnica polivalente, pois abrange os procedimentos endoscópico-cirúrgico e radiológico, que servem para o diagnóstico e retirada de cálculos biliares”, resume o endoscopista André Luiz Ferreira, do HRT.

A assistente de compras Gonçala Caridade, 24, passou pelo procedimento para retirada de pedras na vesícula biliar. “Já havia feito endoscopias, mas esse exame retira as pedras na vesícula”, contou. “Fico feliz de ser bem-cuidada. Que bom que estou em boas mãos”.

“O mais gratificante é quando um paciente, que tinha múltiplos cálculos, vai poder ir para casa sem dor, sem náuseas e ter uma vida com mais qualidade”

Isac Gonçalves, enfermeiro do HRT

O HRT executa cerca de 20 colangiografias endoscópicas por mês, levando em conta o caráter invasivo e a necessidade de urgência do paciente. A vantagem da CPRE é que o aparelho apresenta uma visão lateral, que facilita a visualização da papila e chega ao problema mais rapidamente. Isso facilita o estudo das vias biliar e pancreática, possibilitando uma abordagem diagnóstica e terapêutica de doenças esofágicas, gástricas e duodenais.

Rotatividade

A CPRE também contribui para a eficiência do sistema de saúde, pois promove a rotatividade de leitos no HRT e permite um atendimento mais agilizado e efetivo. “O equipamento é de suma importância, pois o exame pode ser utilizado como ponte para um tratamento cirúrgico, tratamento oncológico ou tratamento endoscópico definitivo”, complementa André Ferreira.

“O mais gratificante é quando um paciente, que tinha múltiplos cálculos, vai poder ir para casa sem dor, sem náuseas e ter uma vida com mais qualidade”, afirma o enfermeiro Isac Gonçalves, que auxilia no procedimento.

O HRT atende todas as regiões do DF. A indicação do exame deve ser feita por médico cirurgião, no pronto-socorro e, no caso de pacientes oncológicos e enfermos, de acordo com as necessidades de tratamento.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -