- PUBLICIDADE -

Participantes do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo 2024 conhecem estrutura da Caesb

Um grupo de 30 jovens cientistas participantes do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo está na capital federal para a etapa final de uma competição diferente. Nesta disputa, estão em discussão temas como sustentabilidade, meio ambiente e água. Os jovens talentos se dedicam a desenvolver projetos no prêmio organizado pelo Instituto Internacional de Água de Estocolmo [Stockholm International Water Institute], que conta com a participação de 40 países, incluindo o Brasil. Nesta edição, os participantes são encorajados a abordar questões como conservação ambiental e adaptação às mudanças climáticas além dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Estudantes conheceram a ETA Brasília, que ganhou, há quatro anos, dois novos reservatórios com capacidade para armazenar até 30 milhões de litros de água | Fotos: Cristiano Carvalho/Caesb

Para conhecer de perto um dos eixos do Prêmio, os estudantes visitaram neste domingo (2) a mais importante Estação de Tratamento de Água da região central de Brasília, a ETA Brasília, responsável por abastecer o Plano Piloto, Lago Sul, Sudoeste, Octogonal, Setor Militar Urbano, Cruzeiro, Guará, SIA, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, SMPW 01 a 05 e parte de Águas Claras.

No Brasil, a organização do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo é realizada pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), através do seu Programa de Jovens Profissionais do Saneamento (JPS) e a Câmara Brasileira de Comércio na Suécia (Brazilcham Sweden). Ao longo dos projetos desenvolvidos, os jovens podem debater suas ideias e projetos com educadores, professores, profissionais do setor de saneamento, de meio ambiente, de sustentabilidade e de recursos hídricos.

Fuad Moura, assessor de Projetos Especiais e Novos Negócios da Caesb, acompanhou a visita: “Trata-se de mais um compromisso da Caesb com a ciência e a inovação com as ações de educação ambiental para as novas gerações, em especial para atingirmos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que nos guiam diariamente”, afirmou.

Empolgado em apresentar a Estação de Tratamento de Água de Brasília a três de seus estudantes, o professor do Colégio Bom Jesus de Itajaí (SC), Rafael Giovanella, celebra a oportunidade de mudança no cenário de pesquisa e inovação: “O Prêmio Jovem da Água de Estocolmo representa uma mudança grande na nossa perspectiva de pesquisa, porque viemos vem de um estado onde a pesquisa talvez não seja tão divulgada e não tão bem elaborada.”

Etapa brasileira do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo 2024 terá cerimônia de premiação nesta segunda (3), a partir das 13h, no CCBB

E completa: “Estamos tentando levar a ciência e o que se segue na faculdade e no laboratório ou até mesmo na vida deles para que eles entendam que a ciência é muito mais do apenas ficar trancado em um laboratório. É bem mais do que isso. É o Brasil inteiro, é o mundo inteiro envolvido numa perspectiva da água que é super importante”, Giovanella lembra ao citar os dois ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) temas do Prêmio deste ano ODS 4 (Educação de Qualidade) e 6 (Água Potável e Saneamento).

Os estudantes também ouviram um trecho da exposição do jovem vencedor da etapa nacional da edição Prêmio Jovem da Água de Estocolmo 2021 que também foi o primeiro brasileiro a ganhar a etapa internacional daquele ano.

Gabriel Fernandes explicou o motivo de ter seu projeto aprovado: “Desenvolvi um filtro para retirar microplásticos que, mesmo após diversas etapas da filtração na ETA, continuavam atuando como agentes poluidores. A partir dos inúmeros testes que apliquei na ETA Guandu e na minha cidade em Itajaí, verifiquei que a melhor solução é a instalação após a filtração, pois a água já passou por todos os processos convencionais de tratamento e agora ganha um novo processo, o de filtração de microplásticos.”

A Estação de Tratamento de Água ETA Brasília entrou em operação na inauguração da capital em 1960. Há quatro anos, a Estação ganhou dois novos reservatórios com capacidade para armazenar até 30 milhões de litros de água, desativando o anterior conhecido como R1, no Plano Piloto. Os novos reservatórios são metálicos de aço carbono e ampliaram a capacidade anterior de armazenamento 20 mil m³ para 30 mil m³. O R1, pela antiguidade, operava apenas com 70% de sua capacidade nominal. O investimento para modernização da Estação foi de R$ 35 milhões.

Premiação

Nesta segunda-feira (3), será realizada a cerimônia de premiação da etapa brasileira do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo 2024, das 13h às 19h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Brasília. Serão realizados debates com a apresentação dos projetos inovadores desenvolvidos por estudantes e casos para troca de experiências e conhecimentos reunindo renomados professores, lideranças e especialistas ligados a temáticas de ESG.

A Caesb irá levar o Expresso Ambiental, um ônibus equipado com uma maquete de seis metros onde é possível apreciar o Ciclo do Saneamento, desde a captação de água no manancial até a devolução do efluente tratado no corpo hídrico. A premiação e a visitação são gratuitas.

*Com informações da Caesb

 

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -