- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Mais de 1,4 milhão de imóveis inspecionados de janeiro a novembro

Governo intensifica ações para detectar e combater focos do mosquito em casas e depósitos; população é aconselhada a participar fiscalizando quintais onde possa haver criadouros do Aedes aegypti

Por Redação

Agentes da Vigilância Ambiental do Distrito Federal já vistoriaram, de janeiro a novembro deste ano, mais de 1,4 milhão de imóveis em busca de focos do mosquito da dengue – Aedes aegypti. Os dados foram divulgados pela Agência Brasília nesta segunda-feira (7) e mostram também que Deste total, 46.521 unidades foram tratadas. Também foram encontrados focos de dengue em 144.411 imóveis, sendo que de 132.326 estavam fechados ou recusaram a inspeção um total.

Houve ainda a inspeção de 1.910.745 depósitos, sendo que 786.680 foram tratados e 359.931 foram considerados positivos. Também foram coletadas 493.923 amostras com larvas do mosquito.

“As inspeções diárias são de extrema importância para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti e reduzir os casos de dengue. Realizamos ações diariamente nas residências e depósitos do DF. Já nos pontos estratégicos, que são os locais com maior incidência de contaminação, as vistorias ocorrem quinzenalmente e sempre é utilizada a borrifação com UBV costal”, diz Edgar Rodrigues, diretor da Vigilância Ambiental.

Conduzidas pela Saúde, ações de combate ao Aedes aegypti foram feitas durante todo o ano

Com a aproximação do verão e o aumento das chuvas, a formação de focos para procriação do mosquito aumenta o que reflete também no aumento dos casos de contaminação pela doença. No DF, até o momento, foram registrados 46.382 casos prováveis de dengue entre 29 de dezembro de 2019 e 21 de novembro deste ano. Os dados constam no boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, divulgado na sexta-feira (4).

Por isso, além da participação do poder público no combate aos focos de mosquitos da dengue, a Vigilância Ambiental ressalta que também é importante a participação da população fazer, semanalmente a inspeção do quintal das casas onde possa haver acumulo de água parada.

“Com o aumento das chuvas, a preocupação cresce, pois facilita a proliferação do mosquito. Por isso é importante verificar todos os locais, garagens, jardins, plantas que acumulam água e calhas”, lembra Rodrigues.

Prevenção/Proteção

  • Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas.
  • Fique, preferencialmente, em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis.

Cuidados

  • Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, busque um serviço de saúde para atendimento.
  • Não tome qualquer medicamento por conta própria.
  • Procure orientação sobre planejamento reprodutivo e os métodos contraceptivos nas Unidades Básicas de Saúde.

Informação

  • Utilize informações dos sites institucionais, como o do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais e municiais de saúde.
  • Se deseja engravidar: busque orientação com um profissional de saúde e tire todas as dúvidas para avaliar sua decisão.
  • Se não deseja engravidar: busque orientação médica sobre métodos contraceptivos.

Fonte: http://www.ans.gov.br/

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x