- PUBLICIDADE -

Estudantes vivenciam eleições para representante de turma com urnas eletrônicas

Quase 700 estudantes do Centro Educacional (CED) 11 de Ceilândia participaram, na tarde desta quarta-feira (29), de uma experiência inédita: eleições para representante de turma com urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF). A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Educação do DF (SEEDF) e o Tribunal que tem o intuito de proporcionar um entendimento prático do sistema eleitoral brasileiro.

Estudantes do CED 11 de Ceilândia foram treinados para atuar em diversas funções do processo eleitoral de representantes de turma  | Fotos: André Amendoeira/Ascom SEEDF

Os estudantes foram treinados para atuar em diversas funções do processo eleitoral de representantes de turma, desde eleitores até mesários e candidatos. As urnas eletrônicas foram instaladas na escola e os próprios alunos operaram as máquinas durante a votação. Essa dinâmica permitiu que os jovens vivenciassem todas as etapas de uma eleição real.

“Nosso objetivo é preparar os alunos para o futuro. Eles estão aprendendo na prática como funciona uma eleição e a importância de participar desse processo democrático. Essa vivência pode, no futuro, mudar a história do Distrito Federal quando eles puderem votar oficialmente”

Roberto Matos, professor de geografia

O processo eleitoral seguiu os passos de uma votação oficial. Primeiramente, cada estudante se dirigiu à mesa de votação, onde assinou o caderno de presença confirmando sua identidade. Em seguida, foi encaminhado para a cabine de votação, onde utilizou a urna eletrônica para selecionar seu candidato. Após escolher a opção desejada, o estudante confirmou o voto pressionando a tecla “Confirma” na urna. A apuração dos votos começou a partir das 17h, e o resultado foi divulgado a partir das 18h, simulando o processo de votação oficial.

Para muitos, foi a primeira vez votando, ainda que em um contexto escolar. O estudante do 9º ano, João Paulo Oliveira Cardoso, 14 anos, falou sobre a sua experiência. “Foi a primeira vez que votei e, mesmo sendo uma simulação, senti a importância. Agora entendo melhor como funciona o sistema eleitoral e a responsabilidade que temos como cidadãos”, afirmou.

Para muitos, foi a primeira vez votando, ainda que em um contexto escolar. A ação educativa, além de incluir os estudantes em um processo democrático, também buscou instigar um senso de cidadania e responsabilidade

O professor de geografia, Roberto Matos, destacou a relevância da iniciativa. “Nosso objetivo é preparar os alunos para o futuro. Eles estão aprendendo na prática como funciona uma eleição e a importância de participar desse processo democrático. Essa vivência pode, no futuro, mudar a história do Distrito Federal quando eles puderem votar oficialmente.”

Nicolle Cauanny Moraes, 15 anos, do 9º ano, uma das candidatas a representante de turma, compartilhou suas expectativas e impressões sobre o processo eleitoral. “Estou muito animada com a possibilidade de ser representante de turma. Acredito que podemos fazer muitas melhorias na escola e essa votação mostrou que todos têm voz e podem contribuir para mudanças,” disse.

Ela também comentou sobre a experiência de participar da dinâmica eleitoral. “Foi muito interessante entender como tudo funciona. Desde o treinamento até o momento de votar, aprendi muito sobre a importância de cada etapa do processo e essa será uma experiência que nunca vou esquecer”, destacou.

A ação educativa, além de incluir os estudantes em um processo democrático, também buscou instigar um senso de cidadania e responsabilidade. Com o apoio do TRE, da Secretaria de Educação e do corpo docente do CED 11, os alunos de Ceilândia tiveram a oportunidade de entender como seu voto pode influenciar a comunidade escolar e, futuramente, a sociedade em geral.

*Com informações da SEEDF

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -