- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Veja como acessar os serviços do Centro Especializado em Saúde da Mulher

O espaço foi inaugurado pela SES-DF em outubro do ano passado e é voltado exclusivamente ao atendimento de mulheres que buscam serviços em especialidades médicas; espaço está localizado na Asa Sul

Por Ricardo Ulivestro

Lançado em outubro do ano passado, o Centro Especializado em Saúde da Mulher (Cesmu) chegou ao final de 2020 com um saldo de 1.206 consultas oferecidas nas mais diferentes especialidades médicas. Segundo a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), pasta que é responsável pela manutenção do centro, a maioria das consultas, um total de 470, foram voltadas a serviços ginecológicos e obstétricos.

“No Cesmu a mulher é acolhida por uma equipe interdisciplinar, com um olhar para as diferentes necessidades, contudo não deixamos que ela perca o vínculo com a unidade de saúde de referência do seu domicílio”, explica a Coordenadora de Atenção Secundária e Integração de Serviços da SES-DF, Lauanda Amorim.

Além dos serviços mais procurados e já destacados acima houve ainda a busca por consultas nas áreas de acupuntura (199), homeopatia (158), dermatologia (30), nutrição (111) e enfermagem (238).

“Considerando que as mulheres são a maioria da população do DF e as principais usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), nos propomos com o Cesmu ampliar, qualificar e humanizar a atenção à saúde da mulher, de forma integral”, lembra a coordenadora da SES-DF.

Para ser atendido em no Cesmu é preciso antes ter sido consultada em alguma Unidade Básica de Saúde (UBS) de qualquer região administrativa.

O Cesmu se encontra na antiga policlínica, localizada na 514/515 Sul.

Veja abaixo os serviços prestados pelo centro:

– Acolhimento da gestante de alto risco referenciada;
– Atendimento por equipe multiprofissional com elaboração de Projeto Terapêutico Singular, Plano de Parto (em casos de gestantes);
– Acesso aos medicamentos necessários para saúde da mulher;
– Encaminhamentos responsáveis;
– Acesso a pré-natal de alto risco;
– Acompanhamento puerperal especializado;
– Ginecologia especializada;
– Oncoginecologia;
– Mastologia especializada;
– Exames diagnósticos de imagem, caso adquira colposcópio e ultrassom;
– Práticas integrativas de saúde (especificamente homeopatia e acupuntura);
– Atendimento psicológico;
– Atendimento aberto às vítimas de violência por assistente social e psicólogo;
– Dermatologia especializada;
– Endocrinologia especializada;
– Nutrição especializada.

*Ricardo Ulivestro – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x