- PUBLICIDADE -

Secretaria de Saúde do DF registra terceira morte no ano causada pela dengue

Segundo a pasta, o último óbito ocorreu em Taguatinga, neste final de semana

Por Ricardo Ulivestro

Os casos de dengue continuam aumentando no Distrito Federal. É o que mostra os registros da Secretaria de Saúde local (SES-DF) que mostra que, nos quatro primeiros meses do ano, o DF alcançou a marca de 44.054 casos prováveis de dengue. Já em relação ao número de mortes, a capital registrou, nesta segunda-feira (30), três óbitos em consequência da dengue.

A última vítima foi uma mulher, moradora de Taguatinga. As duas outras mulheres que morreram de dengue na capital do país, neste ano, moravam em Sobradinho 2 e Ceilândia, respectivamente. Elas tinham entre 60 e 69 anos.

Segundo a secretaria, o número de pessoas contaminadas pela doença, no momento, representa aumento de 502% nesse quesito, na comparação com o mesmo período de 2021, quando houve 7.318 notificações.

Os casos de dengue aumentaram desde o começo deste ano. Ainda de acordo com a secretaria, nos quatro primeiros meses do ano, a capital federal alcançou a marca de 44.054 casos prováveis de dengue. O número representa aumento de 502% nesse quesito, na comparação com o mesmo período de 2021, quando houve 7.318 notificações.

As cidades com mais maior número de casos prováveis é Ceilândia, com 8.206 ocorrências, seguida de Samambaia, com 4.203 casos e São Sebastião, com 2.711 notificações. Depois vem Taguatinga (2.446) e Planaltina (2.413).

A SES-DF informa que estas cinco regiões administrativas apresentaram um total de 19.979 casos prováveis de dengue, ou seja, 45,35% do total de casos prováveis do DF.

*Ricardo Ulivestro – Jornalista membro da Associação Brasileira de Portais de Notícias – ABBP

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -