GDF foi responsável por injetar R$ 345 milhões na economia em 2021; mais de 64 mil postos de trabalho foram criados

Houve investimentos em diversas áreas, como a liberação de linhas de crédito e a criação de programas de fomento e geração de emprego

Por Ricardo Ulivestro

O Governo do Distrito Federal (GDF), em 2021, foi um dos agentes responsáveis pela retomada do crescimento econômico que fora fortemente abalado com os efeitos da pandemia de covid-19. Ao todo foram investidos R$ 345 milhões em vários tipos de programas e projetos que buscam alavancar os negócios gerando renda e emprego.

O montante foi aplicado em várias áreas como infraestrutura, negócios e segmento do turismo por meio de linhas de créditos voltadas para grandes, pequenos e microempreendedores.Só em empréstimos foram 101 autorizados para empresas das áreas de comércio, serviços, infraestrutura econômica, indústria e turismo.

“Nós temos feito uma força-tarefa dentro do governo para trazer desenvolvimento para o DF. Todos os programas realizamos com muito empenho para poder beneficiar do pequeno ao grande empresário. O resultado disso é mais emprego e renda para nossa cidade”, analisa o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jesuíno de J. Pereira Lemes.

Um dos segmentos contemplados com esses investimentos foi o setor das pequenas empresas. Para elas o governo informa que foi, inicialmente, elaborado o programa Material Escolar, que possibilitou a retomada de 447 empresas, que se cadastraram para as vendas dos produtos a 96 mil estudantes. Nesse sentido também foi colocado em prática o Prospera-DF, que emprestou mais de R$ 7 milhões para 464 microempreendedores. Deste valor, quase R$ 2 milhões foram voltados para ajudar pequenos produtores rurais.

Já no âmbito industrial, o governo destaca os investimentos feitos na área de infraestrutura do Polo JK, em Santa Maria, onde foi construída uma subestação de energia elétrica e estacionamentos, além da pavimentação de ruas e calçadas. Em todo o DF, segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, foram injetados mais de R$ 67 milhões em quatro Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADE).

“A desburocratização de linhas de concessão de crédito viabiliza ao pequeno empreendedor a possibilidade de iniciar ou dar continuidade ao seu projeto e, assim, fomentamos algumas atividades importantes para economia local”, destaca o secretário de Trabalho do DF, Thales Mendes.

*Ricardo Ulivestro– Jornalista membro da Associação Brasileira de Portais de Notícias – ABBP

Continue Lendo

[wce_code id=1]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x