Alimentação saudável para mais de meio milhão de pessoas

Entre 2019 e 2020, foram distribuídas 127 mil cestas de frutas, verduras e legumes. Neste ano, a previsão é de mais 63 mil

Garantir a alimentação saudável de pessoas carentes e fortalecer a agricultura familiar são os principais objetivos do programa Cesta Verde – lançado em 2019. De lá para cá, 362 mil famílias foram beneficiadas com a iniciativa do Governo do Distrito Federal (GDF). Para este ano, a expectativa é atender mais 170 mil cidadãos. O investimento para colocar frutas, verduras e legumes na mesa de quem mais precisa já passou de R$ 5 milhões.

Cesta Verde é uma parceria entre as secretarias de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) e de Desenvolvimento Social (Sedes). Os alimentos são adquiridos de 757 agricultores familiares – vinculados a 20 entidades – que participam do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura do DF (Papa-DF).

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
Entre 2019 e 2020, 127.1991 cestas foram distribuídas. Para este ano, a previsão é de entregar 63.191 cestas. O Centro Luterano Cantinho do Girassol, em Ceilândia Norte, é um dos beneficiados | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

“É um programa que beneficia aqueles que precisam vender e não pode interromper esse tipo de produção e faz com que a alimentação saudável chegue no prato de pessoas carentes, que não têm condições de se alimentar adequadamente”, afirma o subsecretário de Políticas Sociais e Rurais, Abastecimento e Comercialização da Seagri, João Pires.

Cada cesta verde é composta por oito itens de diferentes grupos (tubérculos, verduras, frutas). A divisão busca contemplar o que a agricultura familiar tem para entregar e que seja relevante do ponto de vista nutricional. Os alimentos são fiscalizados para garantir a qualidade exigida aos produtores

As cestas adquiridas são doadas para o Banco de Alimentos da Centrais de Abastecimento (Ceasa) e a Sedes. A pasta é responsável pela distribuição da produção agrícola às instituições sociais cadastradas que, por sua vez, repassam esses produtos às famílias em vulnerabilidade social e nutricional.

“A parceria com a Seagri qualifica o produtor local para atender o mercado institucional. Sem contar que ainda conseguimos garantir com as cestas verdes, que complementam o benefício do Cartão Prato Cheio, uma alimentação rica em nutrientes para as famílias que se encontram em insegurança alimentar e nutricional”, reforça a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

Cada cesta verde é composta por oito itens de diferentes grupos (tubérculos, verduras, frutas). A divisão busca contemplar o que a agricultura familiar tem para entregar e que, ao mesmo tempo, seja relevante do ponto de vista nutricional. Os alimentos são fiscalizados antes da entrega para garantir a qualidade exigida aos produtores.

Combate à fome

Entre 2019 e 2020, 127.1991 cestas foram distribuídas. Para este ano, a previsão é a de doar 63.191. O Centro Luterano Cantinho do Girassol, em Ceilândia Norte, é um dos locais beneficiados. “Conseguimos ajudar cerca de 225 famílias. Atendemos pessoas que recebem um a dois salários mínimos ou que estão desempregadas. O dinheiro não é suficiente para garantir uma alimentação saudável”, comenta o coordenador do espaço, Marcos Ritzmann.

“É um programa de extrema importância para essas pessoas. Além de garantir a comida, a alimentação é saudável”, ressalta Ritzmann. “Também orientamos para que elas busquem outras iniciativas do governo local, como o Prato Cheio, para que possam ter ainda mais condições de se alimentar corretamente”, finaliza o coordenador da instituição beneficiada.

Informações Agência Brasília

Continue Lendo

[wce_code id=1]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x