- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Unidades de Conservação do DF teve cerca de 50% a menos de área queimada este ano, aponta levantamento

Programa de monitoramento constatou que este ano os incêndios florestais aconteceram em uma área de 1.688 hectares, quando que em 2019 o número esse número chegou a 3.172 hectares

Por Redação

Um levantamento feito pelo Programa de Monitoramento de Áreas Queimadas nos Parque e Unidades de Conservação (Promaq), sob coordenação do Instituto Brasília Ambiental, constatou que o número de queimadas em Unidades de Conservação (UCs) no Distrito Federal caiu 50% em relação ao ano passado. A constatação foi feito durante o período de seca, quando geralmente ocorre o maior número de incêndios florestais. Assim, até o dia 4 de outubro foi registrado um total de 243 ocorrências de incêndio florestais e uma área total de 1.688 hectares, em 45 Parques e UC’s.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do DF (Sema-DF), no ano passado, o número de queimas em UC’s durante a seca chegou a 3.172 hectares. Segundo a pasta, a maioria dos incêndios florestais é causada pela queima de lixo, de entulhos ou restos de poda. Pontas de cigarros acesas jogadas na vegetação ou fogueiras, situações em que se constituem como crime ambiental, também é outra prática que contribui para ocorrência de incêndios.

O secretário de Meio Ambiente do DF, Sarney Filho, comentou sobre a redução das queimadas e ressaltou que o resultado é consequência de diversas ações que o governo realizou como o apoio do o apoio do GDF de R$ 3 milhões para investimentos na execução de um Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do DF (PPCIF); a contratação, no início de julho, de 145 brigadistas florestais (um aumento de 48%) pelo Instituto Brasília Ambiental; e a compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e ferramentas. Além da realização de campanhas educativas, por meio da produção e divulgação de material, cursos de capacitação e a doação de abafadores para a área rural, e o lançamento da 4ª edição do Almanaque do Fogo.

“Mesmo se pegarmos toda área queimada do DF esse ano, de 18 mil hectares, se tirarmos o que foi fruto de queima prescrita, teremos uma área queimada total inferior ao ano passado, na mesma época. A população também fez a sua parte evitando o uso indiscriminado do fogo e ainda alertando o Corpo de Bombeiros, pelo número 193, ao perceber a presença de fumaça e focos de incêndio”, explica o titular da Sema-DF.

Fonte News Black

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
x