Foto: divulgação CEB

Governo investe R$ 3,2 milhões em mais potência e controle de distribuição. Ações vão beneficiar cerca de 80 mil consumidores de energia

As eventuais quedas de energia, que incomodam os moradores de Ceilândia, estão perto de  ganhar uma solução. A Companhia Energética de Brasília (CEB) concluiu a modernização da subestação de energia de Ceilândia Norte que atende a 76.700 unidades consumidoras, entre residências e comércios. O investimento foi de R$ 3,2 milhões.

Esta é uma das três subestações que atendem a cidade mais populosa do Distrito Federal. Na obra em Ceilândia Norte, por exemplo, foram instalados dois equipamentos de módulos compactos – um para cada linha de transmissão – fornecer mais potência e melhorar o controle da distribuição de energia e, também, a substituição de um transformador que havia queimado.

Além de Ceilândia, a companhia está concluindo até o final do mês as obras na estação do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). A nova estrutura, chamada de SE 08, irá atender a mais de 12 mil unidades consumidoras de energia elétrica na região. Localizada próximo ao trecho 1, a estrutura custou R$ 13 milhões e também trará regularidade à distribuição elétrica da região.

“A gente precisava aumentar a capacidade dessa subestação, que recebe uma demanda muito grande da região do Sol Nascente/Pôr do Sol e condomínios da região. Isso vinha sobrecarregando demais a subestação que foi planejada para Ceilândia Norte e agregou essa região muito populosa”, explica o presidente da CEB, Edison Garcia.

A estação conta com dois transformadores de 50 MVA (megavolts-ampére) de potência, porém, um deles foi danificado e gerou um incêndio no final de 2019. O incidente resultou em falta de energia durante uma madrugada. Após o reparo, a qualidade do equipamento estava abaixo do esperado e, agora, foi definitivamente trocado pela CEB.

“Havia uma frequência atípica de queda de energia na região e essa estação foi uma de nossas prioridades estratégicas para o ano. Uma área onde estão as UPAs, o próprio hospital, e não pode ficar desabastecida”, acrescenta Garcia.

Iluminação 

Além da modernidade, os módulos compactos ocupam menos espaço no pátio da subestação, trazendo economia em obras civis e cabeamento de comando e controle. “Estamos prontos para qualquer queda ou eventualidade. Essa era uma das poucas unidades nossas que não tinham o módulo. Temos a partir de agora uma condição operacional bem melhor”, relata o diretor de distribuição da CEB, Dalmo Rebello.

Administrador do Sol Nascente/Pôr do Sol,  José Goudim disse que a nova estação contribuirá para a segurança do local. “Aqui é uma cidade onde as pessoas andam muito a pé e a iluminação constante é fundamental para que se sentam seguras. Além do que temos o comércio, os produtores que armazenam mercadorias. Uma obra importantíssima”, define.

Informações Agencia Brasília

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here