Serviço itinerante de coleta de sangue vai virar lei no Distrito Federal

O serviço será prestado pelo GDF e deve atender a órgãos públicos e privados

Por Redação

Um Projeto de Lei (PL) aprovado na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) vai permitir que o serviço de coleta de sangue no DF seja feito com apoio de veículos adaptados. O PL é do deputado distrital João Cardoso (Avante) e entrou em vigor nesta quinta-feira (17) quando o plenário derrubou o veto ao projeto.

A proposta do PL é fazer com que o serviço de coleta de sangue no DF não seja feito apenas pelo Hemocentro de Brasília, mas também por equipes de profissionais treinados deste serviço itinerante criado com o projeto 436/2019.

“O Hemocentro está com o banco de sangue em déficit; e o projeto vai facilitar as doações, porque as pessoas não precisarão se deslocar”, explica Cardoso.

De fato, em agosto, o Hemocentro de Brasília entrou em estado de “alerta máximo” justamente em razão do baixo número de bolsas de sangue no estoque. Em agosto deste ano, a média de doação de sangue foi de 139 bolsas por dia, um número abaixo das 165 bolsas diárias do mesmo período de 2019.

Com o PL, não só órgãos públicos poderão utilizar o serviço itinerante de coleta de sangue, como também locais privados, como hospitais, clínicas, etc. O serviço será implantado e coordenado pelo Governo do DF (GDF).

Ainda segundo o autor do projeto, a ideia é fazer um serviço que dê apoio ao Hemocentro, uma vez que, hoje, o Hemocentro de Brasília é responsável por abastecer, sozinho, todos os hospitais públicos do DF e algumas unidades conveniadas, como o Hospital das Forças Armadas (HFA), o Hospital Universitário de Brasília (HUB), o Hospital Sarah Kubitschek e o Instituto de Cardiologia (ICDF).

“Sou doador de sangue e lembro que, quando jovem, em Sobradinho, existia esse sistema. Espero que o governo implemente quanto antes, de forma segura”, diz o autor do projeto.

Fonte News Black

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here