suspeito está preso temporariamente, ou seja, por até cinco dias, com possibilidade de prorrogação por igual períod

Gabriel Ribeiro já tinha sido multado pelo Ibama em R$ 81,3 mil, ele ainda foi o responsável por ter soltado a naja em local público após o incidente; Fundeb é aprovado na Câmara dos Deputados

Por Redação

O caso da cobra naja que picou um estudante de medicina veterinária no último dia 7 de julho em um sítio no Gama, teve ontem (21) mais um desdobramento. É que a polícia prendeu o também estudante de veterinária, Gabriel Ribeiro, por suposta interferência dele nas investigações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) que investiga um esquema de tráfico ilegal de animais exóticos. De acordo com os investigadores, Gabriel Ribeiro estaria desde o início obstruindo as investigações, quando chegou a esconder 16 cobras Núcleo Rural de Planaltina, além de soltar a cobra naja em um lugar público após o incidente.

Na semana passada, Gabriel Ribeiro foi multado em R$ 81,3 mil pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por por também dificultar a ação do instituto,  por manter animais nativos e exóticos em locais inapropriados e sem autorização, além de maus-tratos.

Gabriel Ribeiro foi encaminhado para 14ª Delegacia de Polícia no Gama. Ele está preso temporariamente. Sua defesa já esteve na DP, mas não quis falar sobre o caso.

O mandado de prisão foi expedido após representação da autoridade policial, tendo em vista a existência de indícios de que o amigo estaria tentando, desde o início da investigação, obstruir as diligências realizadas pela 14° Delegacia de Polícia (Gama).

Fundeb

Na noite de ontem a Câmara dos Deputados aprovou em dois turnos a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que torna o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) e eleva a participação da União no financiamento da educação infantil – o que antes não ocorria – e dos ensinos fundamental e médio.

Com o resultado, o governo federal, responsável por garantir o repasse de 10% o fundo, passa agora ser obrigado a repassar 23% do total do Fundeb. Isso ocorrerá por meio de acréscimos anuais. Assim, em 2021 começará com 12%; passando para 15% em 2022; 17% em 2023; 19% em 2024; 21% em 2025; e 23% em 2026.

Câmara aprova PEC do novo Fundeb em 2º turno e amplia verba federal na educação básica

A PEC foi aprovada em primeiro turno (499 votos a favor e 7 contra) e em segundo turno por (492 votos a favor e 6 contra, além de 1 abstenção). A proposta agora vai ao Senado, onde também será apreciada em dois turnos.

A votação do Fundeb foi acompanhada de perto pela população porque se trata do principal suporte da educação pública no país. Em 2019, o fundo foi responsável por injetar na rede pública de ensino R$ 156,3 bilhões. Atualmente, o fundo garante dois terços dos recursos que os municípios investem em educação.

Veja abaixo os deputados que votaram contra o Fundeb:

Bia Kicis (PSL-DF)

Chris Tonietto (PSL-RJ)

Filipe Barros (PSL-PR)

Junio Amaral (PSL-MG)

Márcio Labre (PSL-RJ)

Paulo Martins (PSC-PR)

Fonte News Black

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here