O próprio presidente falou sobre o resultado positivo do teste; novo ministro da Educação também pode ser militar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) testou positivo para covid-19. A informação foi divulgada pelo próprio presidente no final da manhã desta terça-feira, 7, em entrevista a veículos de imprensa. Segundo Bolsonaro, o resultado do teste saiu pelo Hospital das Forças Armadas, onde nesta segunda-feira o presidente realizou testes e exames de pulmão após sentir sintomas da doença. No domingo (5), Bolsonaro disse que começaram os primeiros sintomas. Segundo ele, houve momentos que ele teve 38º graus de febre.

“Mas, dados os sintomas, a equipe médica resolveu aplicar a hidroxicloroquina. Eu tomei ontem por volta das 17h o primeiro comprimido. Também a azitromicina, todo aquele composto foi ministrado e confesso, como acordo muito durante a noite, depois da meia-noite consegui sentir alguma melhora. Às 5h, tomei a segunda dose e confesso a vocês que estou perfeitamente bem”, relatou o presidente durante a entrevista.

Resultado do exame realizado ontem saiu nesta terça-feira

O Palácio do Planalto também confirmou o resultado positivo do teste. Ainda de acordo com a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), o presidente passa a trabalhar a partir de hoje do Palácio da Alvorada. “O presidente mantém bom estado de saúde e está, nesse momento, no Palácio da Alvorada”, esclareceu a Secom, em nota.

Ministro da Educação

Na entrevista que Bolsonaro concedeu hoje mais cedo ele também falou sobre a escolha do novo ministro da Educação que, em suas palavras, terá que “chegar lá [no Ministério da Educação] dando murro em ponta de faca, mas uma grande realidade que devemos ter na cabeça é que [a educação] não está dando certo”.

Tanto o Ministério da Educação (MEC) quanto o Ministério da Saúde (MS) estão sem ministros oficiais. No caso do MS, a pasta está sendo comandada pelo ministro interino general Eduardo Pazuello, que está no cargo desde 3 de junho. Já o MEC, ficou sem ministro após então ministro Abraham Weintraub deixar o governo. O presidente chegou a indicar Carlos Decotelli, mas a posse não se concretizou.

Bolsonaro chegou a dizer que há possibilidade do escolhido para MEC ser também um militar, o deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO). Mas como se trata de um mais um militar, o próprio presidente fez uma ressalva: “Seria uma pessoa excepcional, mas vão cair em cima dele por ser major do Exército, acredita que tem militar demais no governo.”

Fonte Blog do Ulhoa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here